BLOG ABD

Designer de Interiores bem informado.


Não há dúvidas de que cada projeto é único e deve ser elaborado a partir do ambiente, necessidades, gostos e orçamento disponível, dentre outros fatores.

Porém algumas etapas são essenciais para seu desenvolvimento.

Abaixo apresentamos seis delas que ajudarão você a elaborar um projeto de Design de Interiores completo e iniciado do zero.

Design de Interiores: 6 etapas que Devem ter em seu Projeto de Design

  • Projeto de Paginação de Revestimentos

Aqui o foco são os revestimentos de pisos, paredes e tetos, que fazem toda a diferença no resultado final.

O projeto de paginação de revestimentos deve ser capaz de explicar ao proprietário e profissionais da obra como se dará a colocação dos revestimentos.

Além de, é claro, especificar quais são os revestimentos escolhidos para cada local e a quantidade necessária de cada um deles.

Sem essa etapa os riscos de ocorrerem problemas na colocação de revestimentos, como quebras de padrões, por exemplo, são altos.

  • Projeto de Paginação de Gesso

Esse projeto é necessário apenas se houver duas situações: teto rebaixado em gesso e/ou paredes em dry wall.

O teto rebaixado é complementar ao projeto luminotécnico, por isso seu projeto de paginação do forro em gesso deve também detalhar o projeto de iluminação.

Já as paredes em dry wall têm sua localização definida de acordo com o layout do ambiente.

Vale lembrar que nessa etapa é preciso dominar escalas e regras técnicas, de forma a não haver problemas na execução.

  • Projeto Luminotécnico

A iluminação faz toda a diferença no Design de Interiores e, assim, é um dos aspectos mais importantes de qualquer projeto.

Nessa etapa, devem ser definidas a iluminação geral, iluminação indireta e iluminação direta.

O projeto luminotécnico deve ser capaz de valorizar o ambiente, contribuindo para a valorização estética, conforto e funcionalidade do mesmo.

Ter conhecimento sobre como trabalhar com as luzes é fundamental.

  • Projeto de Móveis

O projeto de móveis indicará qual o mobiliário que será utilizado em um ambiente, seus materiais e posição.

Aqui é muito importante saber as necessidades e desejos do cliente bem como capacidade de investimento nas soluções.

Além disso, é preciso indicar se os móveis serão sob medida, planejados ou convencionais.

É importante lembrar que móveis sob medida são produzidos de forma exclusiva para um ambiente.

Já os planejados são modulados e possuem a capacidade de se adaptar a diferentes espaços e necessidades.

  • Elementos de Decoração

Nesse ponto são definidos os elementos a serem adicionados ao ambiente após a instalação dos revestimentos e mobiliário.

Como exemplo, temos:

  • Cortinas e tapetes;
  • Roupas de cama;
  • Quadros e vasos;
  • Outros detalhes que ajudam a valorizar e dar vida ao ambiente.

 

  • Paisagismo

O paisagismo se dedica às áreas externas, como jardins, decks, varandas, etc.

Aqui deverão ser considerados itens como móveis, iluminação e vegetação, por exemplo.

O objetivo é valorizar, também, esses ambientes deixando-os funcionais e convidativos.

Adapte seu projeto à realidade e às necessidades encontradas e tenha sempre como meta superar as expectativas de seus clientes.

Gostou desse artigo? Continue acompanhando a ABD e tenha acesso a outras dicas de Design de Interiores.

Até a próxima!

Patrocínio


Apoiadores