Complexidade e Inovação em Interiores

ABD Acadêmico • 17/12/2018


O designer de interiores desenvolve ambientes que abraçam aspectos físicos e abstratos. A imersão no contexto atual permite ao designer contato com complexidades - resultado dos problemas inerentes a tal interface. Tais problemas compreendem questões que se referem à qualidade de vida, saúde, acessibilidade, segurança e até mesmo felicidade, em seu âmbito mais abstrato.

O designer atua frente a cenários complexos e vê-lo apenas como desenvolvedor de produtos (ambientes) é reducionista. Conceber a atuação do designer na contemporaneidade significa revisar o resultado final do seu trabalho. Se antes se reduzia à resposta estética, hoje esse questionamento perpassa pelos wicked problems - conceito proposto por Rittel e Webber (1973) que busca análise da complexidade de problemas que desafiam lógicas comuns no trato com questões sociais de difícil solução. Mas, é preciso projetar estruturas para lidar com os problemas da atualidade, com características perenes e mutáveis. Nesse sentido, o designer salta de guia estético para um solucionador de problemas e gerenciador de complexidades.

Isabella Pontello Bahia

Leia também
ABD Acadêmico24/07/2019
ABD Acadêmico13/03/2019
ABD Acadêmico22/01/2019
Comunicação20/03/2019
Patrocínio
ACESSO RESTRITO