1. Qual a função do Designer de Interiores?

O Designer de Interiores tem como função social contribuir com seus conhecimentos técnicos e habilidades artísticas para melhoria da qualidade de vida criando ambientes funcionais, seguros e compatíveis com o usuário e seu bem estar, respeitando o patrimônio cultural do país.

2. Como deve ser a atuação do Designer de Interiores?

Sua atuação deve ser inclusiva, fundamentada em critérios compatíveis com os valores humanos, sem qualquer tipo de discriminação por motivos de quaisquer naturezas.

3. O que é esperado das ações do Designer de Interiores?

É esperada a implementação de um design responsável, que favoreça a preservação do meio ambiente e o uso de recursos naturais renováveis, primando-se pela resiliência, redução de custos, aproveitamento de materiais e espaços, buscando eficiência de longo termo, reconhecendo a íntima relação entre design e consumo e seu impacto na sociedade.

4. O que o Projeto?

Encara-se o Projeto como resultado conceitual de um processo pautado em expertise, em que haja afirmação de valores comprometidos com o usuário e com o bem comum.

5. Como se deve agir com os clientes?

Sempre se devem respeitar os interesses dos clientes, portanto a prestação de serviços deve ser formalizada por contrato, que explicite as fases do projeto, os prazos, os honorários e as formas de remuneração, assim como a extensão de direitos e responsabilidades das partes e demais cláusulas, sempre com transparência e objetividade. As especificações do projeto devem ser adequadas aos fins propostos, dentro das normas técnicas – ABNT – vigentes, alertando aos clientes sobre qualquer eventual restrição ou consequência negativa advinda da mesma. Devem-se estabelecer honorários justos dentro de um padrão de mercado (Tabela de referência ABD l CÓDIGO DE ÉTICA), e todas as informações sobre a remuneração dos trabalhos a serem prestados devem ser claras, incluindo remuneração por terceiros (indireta) - tais como RT - reserva técnica, alcance do projeto, serviços terceirizados, assessoria para aquisição dos produtos e serviços, implantação do projeto.

6. Como se deve agir com outros profissionais?

É inadmissível a disputa por serviços profissionais mediante desvalorização de honorários ou em concorrência desleal. Também não se deve intervir na prestação de serviços que esteja sendo efetuada por outro profissional, salvo a pedido do mesmo ou em caso de urgência, seguida da comunicação imediata ao profissional responsável.

7. O que se espera da publicidade do profissional?

O material promocional divulgado pelo profissional deve ser pautado em fatos reais, vinculando seu nome apenas a projetos elaborados por ele mesmos. Não aceite que o nome do profissional seja associado a um projeto original modificado pelo cliente ou por outro profissional.

Caso sua pergunta não tenha sido respondida entre em contato conosco pelo email falecom@abd.org.br

Patrocínio


Apoiadores