BLOG ABD

Designer de Interiores bem informado.


Para Merleau-Ponty, o sentido de estar no espaço é próprio do ser humano que foi gerado sob tensões. A experiência sensitiva de um espaço só pode ser percebida quando o corpo o vivencia. Um não acontece sem o outro, o imaterial é uma extensão do visual, as imagens alimentam a imaginação e vice-versa. A criatividade é afetada pelo meio em que o ser humano vive, assim como sua imaginação.

Pensar um espaço como existente, significa pensar em si próprio. Embora atribuamos existência aos espaços e às coisas, sem nós eles não existiriam. Em nossa objetividade abstraímos espaços, coisas e, em consequência, nossa própria existência.

Nós damos sentido ao espaço e a tudo que nele contém: quão importante é, pois, a relação com o nosso cliente e o seu briefing, sua forma de morar e todo sentido que ele atribui ao seu espaço.

O espaço interior é plástico e imaterial como o próprio tempo e seu contexto. Logo, não existe um espaço objetivo e autônomo do ser humano. Há diferentes maneiras de perceber e compreender esse espaço, um lugar de que me aproprio e dou sentido. A criação do Design de Interiores dá sentido ao espaço para o indivíduo.

Sueli Garcia

Patrocínio


Apoiadores